sábado, 18 de outubro de 2014

A Loucura (parte 1)

Oi, você sabe quem sou eu? 
Não? Como assim? 
Então vou me apresentar, sou a Loucura, muito prazer.
Há éons que vago pelo mundo. 
Concedendo a loucura aos homens, mulheres e crianças.
Você acha que isso é ruim? 
Pois está errado! 
Sem mim, a Loucura, você nunca seria feliz.
Isso mesmo, a loucura que dou de bom grado pros humanos.
Essa loucura é a sua felicidade.
Duvida?
Tente fazer algo ariscado sem a loucura.
É, você não consegue.
Bem, agora que sabe quem sou e o que faço, vou dizer de onde vim.
Sou filha de Júpiter.
Deus dos deuses.
Fui criada e amamentada pelas ninfas.
Agora, sabe poque sou a loucura?
Simples, quando nascem as crianças choram.
Já eu, nasci gargalhando como se fosse doida.
E sou mesmo, tenho atestado.
Bem, tenho que ir.
Alguém precisa ser imprudente em algum lugar.
E eu preciso estar lá.
Até a próxima.
Tchau!

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O Homem e o Jovem Lycan - Parte XIV

 Andaram na estrada pouco mais de quinze minutos, logo avistaram uma ernorme torre ao longe, no que lhes parecia a parte leste de uma cidade média, porém muito movimentada e alegre.
 - Hey, garoto! - Chamou o homem enquanto o jovem contemplava a vista do caminho e algumas árvores.
- Que? - Respondeu o jovem com simplicidade.
- Quando chegarmos a Doranbolt, vamos nos hospedar na casa de meu amigo Gregor Ovitch... - Aslam foi imterrompido por Aidan.
- Porque vamos nos hospedar lá? - Havia alguma curiosidade mal disfarçada na voz do jovem.
- Por que um quarto de hospedaria custa um Taraks de Ouro, mas eu só tenho sete Taraks de Prata - Explicou pacientemente ao garoto.
 - Então vamos logo! - Disse o garoto enquanto começava a correr.
 Aslam correu atrás do jovem. Ao chegarem ao portão de entrada da cidade foram parads por dois guardas. Trajavam armaduras de ferro, proteções de malha metálica, capacetes com penachos azuis e amarelos no peito, em cima do coração havia um brasão quadriculado com azul e amarelo, no centro havia um raio.
 - Alto! Quem é? - Disse um guarda a direita, mais próximo de Aidan, este era mais moreno que o outro. Os guardas apontavam suas lanças para Aidan e Aslam.
 - Viemos em paz! Estamos aqui para o Festival! - Disse Aslam finjindo estar indignado.
 - Ah! Perdão, estrangeiros, pensamos que fossem arruaceiros - Explicou o guarda mais afastado e palido enquanto baixavam as lanças - Aproveitem o festival.
 - Obigado, o mesmo pra vocês - Disse Aslam sorridente quando os guardas liberaram caminho.
 Caminharam durante meia hora até chegarem a uma enorme praça no centro da cidade. Ainda via agora, a torre na extremidade leste da praça. Aslam fez com o braço, menção de irem em direção a torre. Levaram vinte minutos para chegar a sua base.
 - Wow! É enorme - Disse o jovem boquiaberto.
 Aslam apontou para o topo da torre, em forma de prisma, no topo do prisma havia uma fina e longa haste de metal, que o garoto julgou ter lá seus cinco metros de comprimento - Viu aquela haste?
 - Sim, o que tem ela? - Perguntou o garoto, olhando para cima.
 - É nela que cairá o raio dourado daqui dois dias - Explicou Aslam enquanto seguia por um caminho ladrinhado que contornava a torre - Anda! Vamos a casa de Gregor Ovitch.
 - Ok - Disse Aidan que correu para alcançar Aslam que já estava a alguns metros dali.


CONTINUA

terça-feira, 29 de julho de 2014

O Homem e o Jovem Lycan - Parte XIII

 Aidan contemplava a imagem da jovem, ela devia ter seus vinte e cinco anos na época, sorria radiante olhando Aslam e o garotinho, sua mão estava apoiada no ombro do homem.
 De repente Aidan ouve a voz de Aslam ecoando em sua própria mente: "Ande logo, não podemos ficar aqui para sempre"
 Aidan então saiu da mente de Aslam. Seu rosto e pescoço ainda estavam sujos.
- Hey! Você não queria me matar?
 Aidan se encheu de fúria e correu atrás de Aslam que ainda se balançava no galho de árvore. Ainda se transforma e sobe numa árvore em em uma velocidade absurda some em meio as folhas. Aslam olha pra cima e vê Aidan descendo dos galhos mais altos com habilidade e destreza. O homem coça a barba e se joga pra frente, caindo em pé no chão. Aidan por sua vez, vai de encontro ao galho que se quebra e ele cai no chão.
- HAHAHAHAHAHA!!! - Aslam riu como se fosse passar mal - Anda levanta garoto - Ele estendeu a mão para o garoto que acabava de substituir o Lycan.
 Eles voltaram para a gruta, pegaram suas coisas, apagaram seus rastro e seguiram reto, contornando a pequena guta.
- Se formos nessa direção em uma hora sairemos da floresta, vamos seguir a estrada e em duas horas chegamos a Doranbolt, isso tudo antes do por do sol - Disse Aslam sorrindo.
- O que diabos é Doranbolt? -Perguntou o garoto curioso.
- É uma cidade fantástica, você vai adorar aquele lugar até porque em dois dias vai ter o Festival Doran - Aslam explicou muito animado.
- Festival Doran? Podemos assistir? - O garoto parecia muito satisfeito com a ideia de diversão de um festival.
- Claro, sempre é muito divertido, e tem alguns bônus - O homem coçou a baba e riu.
- Bônus? Que tipo? - Aidan estava muito confuso.
- Durante todo dia trinta e um do sétimo mês, uma vez a cada hora vai cair um raio dourado do céu e a cidade ficará toda iluminada - Aslam gesticulou abrindo os braços para explicar.
 Cerca de uma hora mais tarde e eles saíram da floresta.
- FINALMENTE - Ambos gritaram ao mesmo tempo e depois riram.
 Acharam a estrada e começaram a segui-la.

CONTINUA

sábado, 14 de junho de 2014

O Homem e o Jovem Lycan - Parte XII

Aidan tirou um pano de sua mochila e o atirara sobre o rosto de Aslam, que se assustou o ato, ou com o fato de o pano estar molhado em uma de suas pontas.
 - Se você ficar chorando como uma criancinha, vai perder meu respeito! - Disse o garoto inexpressivo.
 - Sinceramente eu não te entendo meu jovem - Disse Aslam, enquanto enchia de lama o pedaço de pano, mergulhando-o em uma poça que havia por ali, tomando cuidado para que Aidan não visse - Como pode não me deixar chorar se você me deixou ver meu filho outra vez?
 - Como assim você viu? - Uma pontada de duvida atravessou a mente do jovem.
 - Lembre-se que eu e você podemos compartilhar pensamentos - Disse o homem desinteressado - Obrigado, vou lhe jogar o pano.
 - Certo, vamos jogue - Aslam sorriu diabolicamente assim que jogou o pano, este espatifando-se sobre o rosto do jovem e consequentemente sujando o de lama - SEU DESGRAÇADO!!! - Disse o jovem se levantando para avançar sobre o homem, porém este já tinha se levantado e subido em uma árvore.
 - Hm...vejo que recuperou as forças bem rápido, bem aqui começa a terceira parte do seu treinamento, você já aprendeu Hidse, ou quase isso, você também aprendeu a compartilhar pensamentos, e muito mais rápido do que eu esperava, agora vamos à caça e rastreamento - Mal tinha acabado de falar e pulou para a próxima árvore, para a próxima e assim por diante quando parou de súbito em um galho de árvore a uns 50 metros do garoto e se virou para falar com ele - Vamos transforme-se e venha me pegar, se puder!
 - Eu não aprendi o Hidse e não posso compartilhar pensamentos sem fazer uma força enorme - Gritou o garoto para o homem, que agora ousava se pendurar pelo braço direito no galho da árvore - Como já podemos estar na terceira parte? - gritou cheio de raiva.
 - Vamos tente ver o que estou pensando - Gritou Aslam que se balançava pelos braços no galhou.
 O garoto tentou, mas antes mesmo de fazer força para se concentrar Aidan se viu dentro da mente de Aslam. Ele via várias imagens passando ao seu redor em tal velocidade que não conseguia distinguir os rostos das pessoas e os locais. Era tudo um borrão de cores e lembranças. Então tudo desapareceu, tudo com a exceção da imagem que Aidan tinha visto horas antes. Aslam muito feliz abraçado a um garotinho que aparentava pouco menos de quatro anos, mas que sorria vivamente, seus olhos, tanto os de Aslam quanto o do garoto brilhavam de um castanho claro muito intenso. Aian logo se tocou que nunca vira os olhos de Aslam brilharem daquele jeito.
Ele contemplava a imagem interessado em cada detalhe. encontrou flores, árvores, uma casa, animais e outras coisas que ele conseguiu reconhecer pelo fato de que aquela imagem era da aldeia onde Aidan cresceu.  Logo ele reparou que havia uma jovem na imagem, ela estava bem visível, ele não sabia porque não havia reparado nela antes, mas ela era muito familiar.
CONTINUA

quinta-feira, 15 de maio de 2014

O Homem e o Jovem Lycan - Parte XI

 Aidan sabendo todos os detalhes que antes passaram despercebidos em sua vida, deu por concluída sua missão e decidiu que estava na hora de voltar. Mas como? Ele não sabia. Não fazia ideia. E se ficasse ali para sempre?
 Neste momento ele sente um toque forte em seu ombro direito, em seguida uma pancada forte do lado esquerdo do rosto, fazendo com que ele perdesse a consciência por um segundo. A pancada foi tão forte que ele não conseguiu ficar de olhos abertos por um curto tempo.
 Quando finalmente conseguiu abri-los, estava de frente de Aslam, este com um rosto muito preocupado, mas que logo se tornou aliviado.
 - Você está bem garoto? - Pergunto Aslam com um tom de seriedade.
 - Estou - Disse o garoto com um pouco de susto da experiencia.
 - Ótimo, vista-se - Aslam pega Aidan pelo braço e o ajuda a ficar de pé, pois este se encontrava um pouco fraco, e em seguida joga a ele sua camisa - Temos muito a fazer no caminho, vamos agora, você consegue?
 - Co-Consigo - Disse o garoto - ah hug - Aidan acabara de desmaiar.
 -Que droga! - Disse enquanto pegava as coisas do jovem e o carregava - Se isso virar um hábito eu te mato, mas por hora temos que ir.
 Aslam carregou Aidan por cerca de meia hora até que ele conseguisse esboçar qualquer tipo reação.
 - Pode me soltar, acho que consigo andar sozinho - Disse o garoto ainda meio zonzo.
 - PUFF! - Aslam acabara se soltar Aidan no chão - Acho que você ainda não está em condições de andar  - Disse Aslam com um sorriso malvado no rosto - Vem vou te ajudar, não estamos longe - Disse ajudando o jovem a andar até uma pequena gruta uns quinze metros a frente.
 Os dois conversavam alegremente considerando-se tudo que já haviam passado.
 - Eu o vi - Disse Aidan.
 - Quem? Quem foi que você viu? - Perguntou Aslam rápido como um raio.
 - Seu filho - Disse o garoto lentamente - Foi só por um segundo, mas o vi.
 - Como sabe que era ele? - Perguntou o homem muito ansiosamente - Como?
 - Porque vi você também - Disse o garoto muito devagar - Você o estava abraçando e ele ria muito.
 Neste momento Aidan sentiu uma coisa cair em seu braço e quando olhou pra cima pôde ver que eram as lágrimas de Aslam. Ele chorava sóde imaginar que seu filho fora muito feliz e que agora provavelmente está morto.

CONTINUA

O Homem e o Jovem Lycan - Parte X

 Aidan e Aslam caminharam do meio dia ás três da tarde sem parar para descansar. Durante todo o trajeto Aidan ficava tentando desesperadamente aprender todo o idioma dos Lycans de uma vezes em outros momentos tentava ler os pensamentos de Aslam.
 -Já chegamos na metade - Disse Aslam sorrindo enquanto olhava para uma imensa árvore e limpava o suor da testa.
 - Chegamos...mas onde? - Aidan ainda não tinha entendido o que Aslam disse.
- Vê a árvore? -Disse Aslam ignorando a pergunta.
- Sim. Mas o que ela tem de especial? -Disse o garoto agora confuso.
- Ela é a fonte de vida desta floresta - Disse Aslam sorrindo para a copa da grande árvore.
- O que você quer dizer com isso? - Disse o jovem Aidan tomado por uma curiosidade enorme.
- Tire a camisa e descubra - Disse Aslam em desinteressado no assunto.
- Mas por quê?
- Apenas faça! - Respondeu Aslam impaciente - Sente-se com as costas no tronco da árvore e concentre-ce!
- Tudo bem - Respondeu o jovem.
 De repente quando finalmente tinha se concentrado Aidan reviu toda sua vida em detalhes, descobrira coisas, lembrara coisas, mas acima de tudo, ele sabia o que era.

CONTINUA