sábado, 11 de janeiro de 2014

O Homem e o Jovem Lycan - Parte IX

Seguindo sua viagem com Aslam, Aidan ainda tenta decorar palavras do idioma dos Lycans enquanto fazia varias perguntas a Aslam.

- Aslam se eu precisar de ajuda e não puder uivar o que eu faço?

- Ótima pergunta - disse Aslam sorrindo – Você mentaliza alguém e sussurre Jeg trenger hjelp.

- E o que isso quer dizer?

Aslam sorriu novamente e disse:

- Significa: Eu preciso de ajuda!

Aidan estava ainda mais perdido. Que tipo de explicação era aquela?

- Mas e se a pessoa não puder me ouvir?

Aslam ficou sério e repreendeu o garoto.

- Eu já te disse, palavras têm poder. E nós Lycans temos a habilidade de compartilhar pensamentos.
Aidan estava a ponto de dizer q tal coisa era impossível, mas der repente congelou. Ele ouvia uma voz em sua mente, uma voz familiar, a voz de Aslam.

~Eu disse que podíamos compartilhar pensamentos~

Aidan disse a Aslam que aquilo era incrível, mas como ele fazia aquilo? Eram tantas perguntas na cabeça de Aidan que Aslam teve que pedir que ele se acalmasse. Eles pararam para almoçar e planejar o resto da viagem.

Continua

O Homem e o Jovem Lycan - Parte VIII

No dia seguinte Aidan se levantou lá pelas 06h00 horas manhã e encontrou Aslam já acordado estudando um papel. Ao se aproximar reparou que os símbolos que estavam no papel eram muito parecidos com o latim porem ele não conseguia compreende-los.
- O que é isto? ­­-Perguntou.
- É um livro-mapa desta floresta – Afirmou Aslam com ar alegre.
- E que língua é essa? Se parece com o latim, mas não consigo ler- disse o jovem agora cabisbaixo.
 Aslam se mostrou espantado, mas logo se lembrou que Aidan não sabia absolutamente nada sobre o mundo dos Lycans.
- Olha garoto esta linguagem se chama Hidse e é essencial que você o aprenda porque alguns Lycans não falam a linguagem dos humanos, mas não se preocupe vou lhe ensinar e você é bem fácil vai ver – Aslam sorri.
 Já deviam ser cerca de 02h00 horas da tarde quando se sentaram sob uma imensa árvore para descansar, pois o sol brilhava forte. Aidan não perdeu tempo e assim que pararam pediu a Aslam para ensiná-lo a falar a lingua do Lycans.
- Vamos começar com coisa simples, como sim e não ok?
- Ok – Disse o garoto
- Repita comigo, kneg ( quidnegui ) significa sim, e kjal ( quidial ) significa não. Lembre-se disso pois temo muito tempo pra aprender e você tem que decorar todas as palavras pois elas tem poder.
- Como assim?- Perguntou o garoto.

- Você vai ver-Disse isso enquanto chamava com um movimento de cabeça o jovem para que prosseguissem a viajem.

Continua

O Homem e o Jovem Lycan - Parte VII

 Assim que pegaram suas coisas, Aslam e Aidan se dirigiram para a segunda parte da floresta. No meio do caminho Aslam estava distraído observando Aidan correndo por ai, já que o jovem não teve uma vida muito fácil por causa do fato dele ser um Lycan.
 Enquanto o jovem Aidan subia em uma pedra, Aslam o pergunta.
 - Quantos anos você tem?
 Tentando se equilibrar em cima da pedra ele alegremente responde.
 - Tenho 15 anos.
 Aslam se surpreendeu pois ele se comportava como uma criancinha, e lhe pergunta.
 - Porque esta agindo como se nunca tivesse subido em um pedra ou explorado por ai na infância?
 Aidan: Nunca brinquei por ai pois minha mãe tinha medo que os aldeões descobrissem que sou um Lycan.
 Aslam ficou pensativo e pós-se a questionar o garoto dizendo que se ele nunca havia reparado que os animais tem medo dele ou coisa do tipo.
 Aidan pulou da pedra para uma árvore e da árvore para o chão. Disse que os animais da vila nunca tinham se assustado com ele, e que provavelmente era porque eles já tinham se acostumado com sua presença, ou talvez achassem que ele não representasse perigo.
 O velho Aslam pigarreou mudando de assunto e dizendo que para chegar ao lugar onde os Lycans não seriam perseguidos levariam cerca de 5 anos correndo sem parar. Logo que ele disse correndo, Aidan perguntou: Como humanos?
 O homem negou com a cabeça dizendo: Como Lycans!
 Neste momento a alegria de Aidan pareceu se esvair de seu olhar:
 - É tão longe assim?-Perguntou indignado.
 - Nem tanto, mas pense, levaremos um mês para cruzar esta floresta enorme e você precisa controlar perfeitamente sua forma Lycan, caso contrário não será capaz de entrar na cidade dos Lycans-disse Aslam com um tom um pouco severo- A cidade é protegida por uma barreira mágica ou coisa do tipo que faz com que apenas Lycans e convidados possam adentrar seu interior.
 - Interessante, mas podemos começar logo com o treinamento?
 - Seja paciente, tudo a seu tempo-disse o velho.


Continua

domingo, 22 de dezembro de 2013

Viva por mim

Na calada da noite acordei
Acordei de um sonho triste
Então vi a chuva se fazer por cair
Cair das estrelas
Estrelas estas que eu contemplava
Contemplava sete anos atrás
Sete anos passaram-se cheios de dor
Dor esta que não vai parar
Até que seja feita a justiça
Ah Justiça jovem e inocente Justiça
Se tivesses visto do que vi
O medo e o terror
Faziam até os lobos uivarem fora do tom
Um uivo de sofrimento
Sofrimento pelo qual também passei
E espero que você não passe por isso
Não sei se aguentaria ver-te a sofrer
Sofrer a pior das torturas
Simplesmente quero que viva
Viva com uma chama ardente em teu coração
Para iluminar teus passos na mais profunda escuridão
Viva o que eu não vivi
Viva o que eu não vou poder viver
E no futuro não saberás que o hino ao qual vivi
Chamava-se "Fé e Miséria"

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Meu Pai É Um Lobisomem


Meu pai é um lobisomem. 
Agora mesmo, vive ocupado. 
Deixa seus cabelos nas escadas e cadeiras, 
É realmente muito revoltante 
E se meus amigos fazem comentários 
(para alguns deles que são maníacos), 
Digo-lhes que é o cão ou gato.
Eu nunca digo que é meu pai.